Loading...

1ª edição Impulso+ | Publico

Sem medo para fazer o que quero e sinto!

Entusiasma-me a perspetiva de uma sociedade onde o prolongamento da vida ativa é uma oportunidade para ter uma vida positiva, com qualidade e bem-estar. Enquanto equipa somos movidos pela desconstrução do paradigma centrado na variável idade e pela valorização das reais competências e utilidade de cada um. Inspiram-nos pessoas que, apesar dos anos e porque se mantêm ativas, são verdadeiramente felizes e interessantes.

O Impulso+ nasce disto, e é, em primeiro lugar, a consciencialização de que cada vez mais vamos ter necessidade de planear um período da nossa vida, entre a nossa idade de reforma e o momento em que não formos mais capazes de ser ativos e, em segundo lugar, percebermos que isso é uma coisa extraordinária, que nos vai permitir viver mais e melhor, logo sermos mais felizes mais tempo!

Eu não quero ter direito a apenas uma reforma… eu quero ter direito a ser feliz, independentemente da minha idade!

Por isto este é um projeto orientado para todos os que querem “aprender” a viver esta nova fase da vida, de forma construtiva e positiva, em áreas tão diferentes como importantes e que vão da saúde ao rendimento, passando pela habitação, mobilidade, lazer e solidariedade.

Não se trata de saber envelhecer, só envelhece quem se conforma… é um projeto para inconformados que procuram dar vida aos anos e não apenas mais anos a vida.

Na primeira quinta-feira de cada mês, e neste jornal, vamos apresentar reflexões e os desenvolvimentos pela mão de quem sabe e lida diariamente com estes temas. Mas esta corrente segue, todos os dias, nos meios digitais e em ações que iremos partilhando consigo. Teremos exemplos inspiradores de quem sabe o que é não ter idade e confrontaremos sempre a nossa sociedade com a necessidade desta também promover uma imagem POSITIVA das pessoas com mais de 50 anos, enquanto agentes indispensáveis a um pais moderno, inclusivo, participativo e ativo.

Nesta edição falamos do futuro, projetando um novo olhar sobre o papel das pessoas com mais de 50 anos nas sociedades contemporâneas. Procurámos dar o nosso contributo para antecipar comportamentos, vivências e desafios que este nos irá trazer, bem como oportunidades, ferramentas e soluções para vivermos de forma mais positiva nas várias área da nossa vida.

Em nome desta equipa, quero agradecer às várias pessoas e entidades que connosco colaboraram, partilhando as suas visões acerca dos vários temas acima mencionados, ou os exemplos de vida, como aconteceu com a nossa coluna de Jovens para Sempre. Mais ainda, quero agradecer aqueles que acreditam, como foi o caso da Santa Casa de Misericórdia de Lisboa e o seu provedor Dr. Edmundo Martinho, que “velhos são os trapos” e que o futuro é muito melhor quando as gerações se encontram e colaboram nas ideias e nos projetos. Deixo-vos com uma frase que encontrámos neste processo, que nos inspira e que representa e sintetiza o projeto,

Tenho os anos que preciso para viver livre e sem medos. Para seguir sem medo pelo caminho, pois levo comigo a experiência adquirida e a força de meus anseios. Quantos anos tenho? Isso não importa a ninguém! Tenho os anos necessários para perder o medo e fazer o que quero e sinto.”

Autor desconhecido

Texto: Sofia Alçada – Directora Executiva

Imagem: Unsplash

Artigos recentes