Loading...

Dia das Mentiras “Os sábios não dizem o que sabem, os tolos não sabem o que dizem”

Em Portugal há o costume de pregar partidas inocentes e dizer mentiras e piadas no primeiro dia de abril. A ideia é fazer soltar umas gargalhadas e por isso mesmo, apesar de ninguém saber ao certo como começou o Dia das Mentiras, a tradição mantém-se.

Caro leitor, quer saber como é que o primeiro dia do mês de abril se transformou no Dia das Mentiras? Então, terá de procurar por outro artigo, porque aqui, o mais que podemos adiantar é que as verdadeiras origens do Dia das Mentiras são desconhecidas. Não obstante existem algumas explicações. Pouco convincentes, diga-se, mas ainda assim… há por exemplo quem acredite que o 1 de abril está relacionado com o equinócio da primavera, cujas mudanças climatéricas sempre trouxeram alguma desorientação às pessoas, levando-as a fazer disparates.

Outra explicação, defende que a tradição começou em França no início do século XVI, quando o ano novo era celebrado a 25 de março, na chegada da primavera, e o dia 1 de abril marcava o final dos festejos. Ora, quando em 1564, depois da adoção do calendário gregoriano, o Rei Carlos IX determina que o ano novo tem de passar a ser comemorado no dia 1 de janeiro, causa uma onda de descontentamento nos franceses que estavam habituados a considerar o primeiro de abril, como o primeiro dia do ano. Alguns chegaram mesmo a continuar a seguir o calendário antigo e por esse motivo acabaram por ser alvo de brincadeiras por parte da população resignada ao novo calendário, cujo objetivo era ridicularizá-los: chamavam-lhes tolos e pregavam-lhes partidas. Essas brincadeiras inocentes ficaram conhecidas como “plaisanteries”. E dai a transformarem o primeiro de abril no Dia das Mentiras, foi um pulinho.

A veracidade destas teorias nunca será confirmada, mas o certo é que o Dia das Mentiras se comemora um pouco por todo o mundo. Em Inglaterra chama-se “April Fools’ Day” (dia dos tolos), em Espanha, “Dia dos Enganos” e em Itália e França, “pesce d’aprile” e “Poisson d’Avril” (peixe de abril), pois na tradição francófona costuma-se pendurar um peixe de papel nas costas de um amigo, dando a ideia de que a vítima terá sido apanhada ou “pescada”.

Texto: Sofia Santos
Imagem: Unsplash | Neven Krcmarek

Artigos recentes