Loading...

Em casa, na companhia da domótica

Artigo de Cipriano Monteiro da Prosegur, publicado no suplemento Impulso+ do Jornal Publico a 04 de Outubro. 

O envelhecimento traz consigo novos desafios. A mobilidade, a autonomia, a saúde, a solidão, a habitação, entre outros, são temas recorrentes nos debates sociais. A criação de novos objetivos e metas a atingir, atividades que exercitem a mente e o corpo, surgem como motores de um envelhecimento positivo e acima de tudo ativo.

Para responder a estas necessidades e desafios, surgem todos os dias novos produtos e serviços que são facilitadores do dia-a-dia.

A domótica, as casas inteligentes e conetadas são uma das respostas que irão sem dúvida revolucionar a nossa vida, tornando-se de maior importância quanto mais avançada é a nossa idade.

A tecnologia é normalmente associada aos mais jovens, mas os benefícios que estas soluções prometem trazer, dado o número de dispositivos e de funções disponíveis no sentido da autossuficiência e do conforto, serão de extrema utilidade, o que garantirá uma rápida aceitação e adaptação.

Estas soluções são especialmente importantes para pessoas que morem sozinhas e que queiram automatizar a sua casa para lidar com tarefas que não podem mais levar a cabo ou outras que muitas vezes se esquecem de fazer.

Com o desenvolvimento da Internet das Coisas, por exemplo, existem muitos dispositivos para ajudarem na autonomia e no bem-estar.

Dispositivos para alertar quando chega a hora certa para fazer a medicação, como garrafas com sensores que geram notificações, luzes que brilham e alteram a cor para desencadear o alerta do utilizador, são alguns dos exemplos. Estão já disponíveis sensores que podem ser montados nas várias divisões de casa, em sítios de passagem, alertando para situações predefinidas. A título de exemplo, se passou no sensor do corredor e passados dois minutos ainda não voltou a passar em mais nenhum sensor da casa, pode ser sinal de perda de consciência ou queda, gerando assim uma notificação para a empresa de segurança ou para algum familiar ou cuidador, que atuará de imediato.

A monitorização da saúde remotamente é também uma realidade. Esta permite a observação não intrusiva, omnipresente e em tempo real dos sinais fisiológicos, sem interromper as atividades diárias dos indivíduos. As pessoas podem continuar a sua vida normal enquanto a sua saúde é monitorizada e analisada a partir de uma instalação remota, com base nos dados fisiológicos recolhidos por diferentes sensores no corpo. O sistema pode ainda realizar análises de tendências de saúde a longo prazo, detetar anomalias e gerar sinais de alerta em caso de emergência.

As casas inteligentes e a domótica permitem ao utilizador ter controlo sobre a sua casa, através do smartphone, de um controlador local ou através dos assistentes de voz. Desligar e ligar as luzes, abrir e fechar portas, falar e visualizar remotamente o interlocutor que acionou o videoporteiro, controlar a temperatura de casa, comandar os estores elétricos ou o alarme, ter detetores de fumo, de inundação, de movimento, ou ligar e desligar remotamente eletrodomésticos, são apenas alguns exemplos. Já imaginou, ao ir para a cama, as luzes do quarto acenderem-se, o alarme ficar ativo, a porta da rua fechar-se sem ser preciso fazer os movimentos habituais para que tal aconteça? Ou quando está de férias e quer simular que está em casa, programar a abertura e fecho de estores, ligar e desligar luzes, entre outras rotinas, que poderá parametrizar?

A domótica permite tudo isto. Alia conforto e segurança, eficiência energética e sustentabilidade, entretenimento e qualidade de vida para as famílias.

A forma como nos relacionamos com a tecnologia jamais será a mesma. O futuro é hoje. Ao programar e utilizar a conjugação destes dispositivos, cada indivíduo terá mais tempo e disponibilidade para os novos objetivos e metas que pretende atingir, pois sentir-se-á mais acompanhado e seguro, com um enorme ganho em autonomia e independência.

Texto: Artigo patrocinado pela Prosegur – Publicado em Impulso+| Jornal Publico em 04 de Outubro
Imagem: Unsplash

Artigos recentes