tem, no átrio central do edifício sede da Caixa Geral de Depósitos, em Lisboa, a exposição fotográfica “Too young to wed” (“Novas demais para casar”). As mais de 30 fotografias e infografias resultam do trabalho de duas fotógrafas - Stephanie Sinclair e Jessica Dimmock - sobre casamentos infantis e forçados, perpetrados em países como a Etiópia ou o Iemen.
As Nações Unidas revelaram esta sexta-feira que 1 milhão de sírios fugiu à guerra civil do seu país e tornou-se refugiado, só este ano, o que faz com que no total sejam já mais de 3 milhões.
A Convenção para a Prevenção e o Combate à Violência contra as Mulheres e a Violência Doméstica, conhecida por Convenção de Istambul, veio impor, desde o início do mês que a mutilação genital seja punida em Portugal mesmo que as crianças sejam levadas ao estrangeiro.
Quadros de empresas, muitos em cargos de liderança, ofereceram-se para ser mentores de imigrantes que vivem em Portugal. Trata-se de um projeto-piloto de apoio à integração de imigrantes vai passar a ser um projeto nacional.O jornal Público conta a história de dois dos pioneiros deste projeto, Manuel e Hermenegildo, e como passaram para o papel o sonho de uma grande exploração agrícola em Angola.
A participação portuguesa nos Europeus de atletismo do Comité Paralímpico Internacional (IPC), que terminaram este sábado, em Swansea, País de Gales, valeu 10 medalhas a Portugal. Nuno Alves conquistou a medalha final: prata na prova dos 1.500 metros T11 (deficiência visual).
Pelo quinto ano consecutivo, a Fundação Luís Figo deu oportunidade a crianças com necessidades especiais, portadoras de deficiências e/ou carenciadas socioeconomicamente, de poderem brincar sem diferenças ao frequentarem, a custo zero, os Campos de Férias Inclusivos promovidos pelo BIPP – Banco de Informação de Pais para Pais – durante os meses de Verão.
O Papa Francisco recebeu esta quinta-feira, no Vaticano, a visita de Meriam Ibrahim, a mulher que esteve condenada à morte no Sudão por ter abdicado da religião islâmica, ter casado com um cristão e se ter convertido ao cristianismo.
O Instituto Politécnico de Leiria (IPLeiria) tornou possível a visita ao Mosteiro da Batalha, por mais públicos, tradicionalmente excluídos. A equipa do Centro de Recursos para a Inclusão Digital da Escola Superior de Educação e Ciências Sociais do IPLeiria (CRID/ESECS/IPLeiria) criou um guião em braille para visitantes cegos, um guião em Língua Gestual Portuguesa (LGP) para visitantes surdos e um guião em escrita simples e linguagem pictográfica, para pessoas com dificuldades intelectuais ou baixa literacia, que permitem acompanhar as visitas a este monumento, classificado pela UNESCO como Património da Humanidade.
A Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) passa hoje a contar com 9 países com a adesão da Guiné Equatorial, na X Cimeira da CPLP, que se encontra a decorrer em Díli e que não conta com a presença dos presidentes do Brasil e Angola, curiosamente os dois principais avalistas da candidatura da Guiné Equatorial.
O número de mortos em Gaza ultrapassa já as 550 pessoas, a maioria civis, desde o início da operação militar israelita, a 8 de julho. “Os continuados bombardeamentos de áreas residenciais na Faixa de Gaza, a par do recente raide contra um hospital, engrossam a lista de possíveis crimes de guerra que exigem uma urgente investigação internacional independente”, insiste a Amnistia Internacional.
De um conjunto de cerca de seis dezenas de nomeações recebidas, o júri, presidido por Jorge Sampaio, decidiu atribuir o Prémio Gulbenkian 2014 à Comunidade de Santo Egídio, movimento católico fundado em 1968 por Andrea Riccardi, que se tem distinguido pelo apoio aos menos favorecidos e pelos esforços para alcançar a paz no mundo, quer através da mediação em conflitos quer através do diálogo inter-religioso.
É já este sábado que a campanha Direitos Humanos na cidade vai pôr em debate os testemunhos, histórias, queixas e perguntas sobre as liberdades e garantias fundamentais que a população de Coimbra foi deixando nas caixas distribuídas pela cidade pelo Núcleo Amnistia Internacional Coimbra.
São diversas as rotas de tráfico de seres humanos da Nigéria para a Europa. A rota que passava por Portugal estava a funcionar pelo menos desde 2012 e tinha como alternativa o voo proveniente do Senegal. Saíam da Nigéria. Apanhavam um voo da TAP na Guiné-Bissau com destino a Portugal. Desembarcavam no Aeroporto Internacional de Lisboa, identificavam-se como menores de idade em busca de asilo. Aguardavam pelo estatuto. Um dia, eram levadas por redes de tráfico para exploração sexual pela Europa fora.
Hoje, dia 14 de julho, celebra-se no mundo inteiro o Dia de Malala, a rapariga “mais forte do que a violência, mais forte do que a opressão, mais forte do que o medo”.
Os países europeus estão a ignorar as suas obrigações em matéria de direitos humanos e a UE “parece ter abandonado os seus princípios fundadores e valores, ao fechar os olhos” aos abusos cometidos sobre imigrantes e refugiados nas suas fronteiras, alerta a Amnistia Internacional (AI).
Estão abertas as candidaturas para a 5ª edição do Prémio BPI Capacitar, que vai entregar 500 mil euros a instituições privadas sem fins lucrativos para apoio a projetos que visem a integração social e a melhoria da qualidade de vida das pessoas com deficiência ou incapacidade permanente. Até dia 27 de Julho, as instituições poderão candidatar-se a este prémio, um dos maiores em Portugal destinado à Responsabilidade Social.
O Centro Integrado de Apoio à Deficiência (CIAD), tendo como objetivo potenciar os conceitos de cidadania e inclusão, irá levar a cabo, no próximo dia 5 de Julho, a atividade "Caminhar pela Inclusão".
Meriam Ibrahim, sudanesa condenada à morte por ter renunciado ao Islão, foi libertada depois de uma imensa pressão internacional. Contudo esta não foi suficiente e esta terça-feira voltou a ser detida depois de o tribunal ter aceitado o recurso e anulado a sentença.
No dia Mundial do Refugiado, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) avança que pela primeira vez desde a II Guerra Mundial, há mais de 50 milhões de pessoas que foram obrigadas a deixar as suas casas. Se houvesse um país só para eles seria o 24º mais populoso do mundo, com mais habitantes do que Espanha, Colômbia ou África do Sul.
As dificuldades hoje sentidas por tantas famílias fragilizam-nas e inevitavelmente aumentam os riscos de abandono e de não se conseguir assegurar condições para que as famílias permaneçam unidas. O Impulso Positivo falou com Madalena Vasconcelos, Presidente do MSV e Coordenadora Geral da Casa das Cores para conhecer o trabalho que tem sido feito desde a abertura das portas deste Centro de Acolhimento, há cinco anos atrás.