Loading...

Tecnologia ao serviço da mobilidade

A prática de exercício físico melhora a força e o equilíbrio e reduz significativamente o risco de queda. No entanto, este tipo de contratempo não pode ser negligenciado, porque as quedas são dos acidentes mais comuns na vida das pessoas mais velhas, inclusive a causa de cerca de metade das hospitalizações. A boa notícia é que algumas empresas estão a desenvolver neste campo, produtos tecnológicos verdadeiramente inovadores que podem ajudar… e muito!

Ténis com sensores e cinto com airbag? Sim, este ano, em Las Vegas, na maior feira internacional de tecnologia do mundo, Consumers Electronic Show (CES), foram apresentadas ideias inovadoras, concebidas a pensar na saúde dos seniores, e disponíveis em breve. Conheça estes produtos que colocam a tecnologia ao serviço da mobilidade… e que o vão ajudar a encetar um envelhecimento ativo.

Ténis com sensores de queda

Desenvolvidos a pensar na saúde e conforto dos mais idosos, os sapatos ou ténis com sensores de queda contém, como o nome indica, uma série de sensores, além de acelerómetro, giroscópio e até GPS. O objetivo do produto é o de perceber se quem tem os ténis calçados caiu e em caso afirmativo, enviar essa informação (ou seja, a localização exata da pessoa) a cuidadores, familiares ou amigos que a possam socorrer. Como é que se percebe se a pessoa sofreu uma queda? Através da ativação de um alarme. Como é que o alarme pode ser ativado? Através de um sensor que contém um sistema de pressão colocado na sola do sapato. E nem sequer é necessário emparelhar o sensor com um dispositivo móvel, pois os ténis processam toda a informação graças a um chip GSM, GPS e antenas LoRa, que enviam a notificação com detalhes precisos de localização do utilizador. Se o alarme não parar de tocar é porque a pessoa em questão não conseguiu levantar-se.

Os ténis com sensores E-vone, de que lhe estamos a falar, apresentados durante a CES 2018, estarão disponíveis em vários formatos e cores e são também aconselhados para pessoas cujo contexto de trabalho ou opção de tempos livres mais radical, as pode colocar em risco de queda.

Cinto airbag 

Outro gadget apresentado na CES 2018 que também pensou na tecnologia ao serviço da mobilidade é o cinto com airbag que tem como objetivo amortecer uma queda, nomeadamente evitar que a pessoa que o utiliza parta os ossos da bacia, um problema grave, especialmente em mulheres com mais de 65 anos.

O cinto com airbag Hip`Air, produzido pela empresa Helite especializada em airbags para roupas para esquiadores e motociclistas, entre outros, parece um cinto, mas esconde no seu interior não um, mas dois airbags que, através de um giroscópio e de um acelerómetro, são acionados em menos de 0,08 segundos quando é detetado um movimento de queda. Resultado? Reduzem o impacto e evitam danos maiores.

Felizmente que é possível e eficaz utilizar tecnologias de ponta para promover um envelhecimento ativo. Na prevenção de quedas, na emissão de avisos e de tantas outras formas com que num futuro próximo ainda nos vamos surpreender. A tecnologia ao serviço da mobilidade, e por que não?!

Entretanto, não deixe de ler o nosso artigo sobre um serviço de teleassistência que resulta de uma parceria entre a Prosegur e a Cruz Vermelha Portuguesa, aqui!

Texto: Dr. Afonso Pegado – Médico Fisiatra na BeeLife – artigo Publicado no Jornal Publico
Imagem: Unsplash

Artigos recentes